sábado, 31 de outubro de 2009

Coro dos tribunais


Não acho gracinha nenhuma a videirinhos. Vara, o homem que pertence a uma casta rara de gente que sabe fazer tudo, parece estar inscrito nessa espécie. Mas uma coisa são as nossas simpatias, outra são os actos trapalhões dos azougados videirinhos. Se a trapalhada não passa de mal-entendido e falatório, partamos para outra que se faz tarde. Se a rapaziada está envolvida em falcatruas vergonhosas, é bom que os esclarecimentos apareçam sem demora. Estes processos devem ir até ao fim. E é bom que quem tem culpas no cartório seja responsabilizado. Antes da mudança de Abril de 1974, as negociatas eram entregues sem complexos a quem estava com o regime. Agora o regime não pode permitir que a corrupção o mine. Já chega.

Histórias, desenhos e intrigas

Dalila Rodrigues foi corrida da Casa das Histórias e dos Desenhos de Paula Rego. Quando a coisa não correu bem no Museu de Arte Antiga caiu o Carmo e a Trindade. Até houve revolucionárias manifestações de apoio. O Ministério da Cultura, liderado por Isabel Pires de Lima, cometeu um crime hediondo ao ditar o afastamento. Agora parece que foi "a outra" força política que convidou Dalila Rodrigues a sair. Ou é a senhora que tem mau feitio, ou o apelidado bloco central não entende tanta competência mundana.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Refeitório

Com a Academia não se brinca

Vasco Pulido Valente é outro importantíssimo fazedor de opinião que decreta o que é prioritário e importante. Na crónica de hoje, no Público, desdenha na expressão ”modernização”, utilizada por Sócrates. Percebemos que a palavra não esteja inscrita no léxico habitual do Vasquinho da Academia. Mas é bom que o primeiro-ministro do meu pais a utilize. Por muito que custe aos anunciadores da desgraça pura. A apologia do passadismo mais serôdio, apregoada por estes arautos do poucochinho, fazem-me ficar cada vez mais contente com a derrota da doutora Manuela. A falta que fazem é exactamente a mesma que a fome.
Mas isto sou eu a falar, que como é óbvio nem devia ter opinião.
Não é assim, doutor Valente?

O silêncio dos inocentes

O prestigiado professor de Direito e importantíssimo deputado do PPD/PSD, Jorge Bacelar Gouveia, resolveu vasculhar a arca das verdades que possui no seu bafiento sótão, e encontrou umas vulgares considerações sobre o casamento entre pessoas que não são como ele. O doutor anda em pulgas na defesa do referendo sobre o assunto. E pelo caminho refere o quanto lamentável é dar-se prioridade a uma coisa que não a deve ter neste momento. Como se para ele isso fosse prioridade em algum dos dias da sua existência. O homem ainda anda perturbado com a decisão sobre a Interrupção Voluntária da Gravidez, e ainda chora o silêncio dos inocentes. Chega a comover, tanta hipocrisia. Ressalta então a realidade de estarmos em crise económica para propor que o tal do casamento seja lançado para as calendas. Os moralistas de serviço andam agora muito preocupados com a situação económica e acham que tudo deve parar. A sociedade deve virar a cara a tudo o que mexe e ir para um quarto escuro fazer continhas. O importantíssimo deputado termina o rol propondo uma pergunta para o referendo: “Concorda com o casamento civil por parte de duas pessoas do mesmo sexo?”.
Pergunto eu: “ E isso é pergunta que se faça?”.
É que houve eleições. E antes disso uma campanha eleitoral. O problema que o senhor professor agora quer levantar estava inscrito no programa de pelo menos dois partidos que fazem uma civilizada e muito razoável maioria na Assembleia da República. Não é assim que se faz, senhor professor? É a Democracia, senhor deputado.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Ciência não engana

http://1.bp.blogspot.com/_uMDy7NDv78E/SRY4WyGV-nI/AAAAAAAAC6U/6ye2biEb6yQ/s400/Manifesta%C3%A7%C3%A3o+-+Professores.jpg
Estas fantásticas manifestações.
Ferreira Fernandes no DN.

Gripados


Começamos a cair atacados pela gripe.
Afinal a coisa é mesmo perigosa.
Alguém tem aí uma vacina à mão?

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Receituário


Clique na imagem para ampliar.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Deambulatório


Um amigo de convivência frequente e noitadas arriscadas, acusa-me, por correio electrónico, de referir o fim da participação na polémica Saramago/Católicos sem ter permitido discussão. Como coloco as opiniões aqui postadas também na página do facebook, e é lá que se dá a participação entre toda a gente conectada, não me ocorreu a falta aqui neste lugar. Peço desculpa. De facto, prefiro o diálogo no Facebook. Lá sempre se sabe quem fala. Temos rosto e sabemos com quem conversamos. Quem quiser pode registar-se. É fácil. Vão até lá.
http://www.facebook.com/

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Com Pedro Lapa


Pedro Lapa é o director do Museu do Chiado. Tem desenvolvido um trabalho notável. Tinha em mente o alargamento do museu. Agora parece que tem de se ir embora. Os subscritores desta petição não estão de acordo. Esta é a primeira movimentação em volta de Gabriela Canavilhas. Veremos se é possível dar a volta a esta burocracia injusta. Quem quiser pode participar. Aí vai a ligação:
http://www.peticaopublica.com/?pi=P2009N547

Às armas

O combativo padre de Covas do Barroso escondia armas em casa. A defesa da fé passa pelo armamento dos seus soldados? Será para eliminar os ateus? Ou não passa de negócio obscuro de um escroque que tem o uso da fé como ofício? Este biscate do senhor padre é perigoso. O proselitismo religioso não anda em boas mãos.

Estupidez recomenda-se


As praxes no ensino universitário nada têm de superior. As praxes no ensino militar são mais sofisticadas. Mais perigosas. Agora fala-se muito da estupidez praticada no Colégio Militar. Os vencedores vencem. Os fracos levam porrada e são rotulados disso mesmo, de fracos. Fraquezas de uma sociedade que se abastece de valentias vãs para iludir a falta de rigor e excelência. Ainda bem que as denúncias acontecem. Há sempre alguém que diz não.

domingo, 25 de outubro de 2009

Se Deus quiser

Quem tem fé e acredita nos ditames bíblicos merece-me todo o respeito. Isto é para mim evidente - é a normalidade e não precisa de ser repetido ao vento que passa. Quem não acredita e resolve dizê-lo, também. A razoabilidade deve ser mantida. O que é lamentável na polémica Saramago/Igreja Católica é a ausência de consistência que os seguidores da fé cristã exibem. Para criaturas como o tal David do parlamento Europeu, não ser cristão e ter razões para o não ser é motivo de exclusão. Li o livro de Saramago e achei, tal como o padre Anselmo Borges, em opinião expressa no DN, uma história interessante.
Termino aqui a minha participação nesta polémica. Saramago quis vender livros? E então, não vivemos numa sociedade de livre concorrência? Saramago foi estalinista? E depois, os cristãos não dominaram as mentes dos mentores do estado Novo, em Portugal, e de outros estados por esse mundo fora?
Mais preocupante: há cristãos que gostariam de atear de novo as purificadoras chamas da inquisição. Deus lhes perdoe.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Mais com mais


Ao contrário do bluff António Pinto Ribeiro, a nova ministra da Cultura não acha que seja possível "fazer mais com menos". Gabriela Canavilhas assegura que o primeiro-ministro sabe bem que é necessário dotar o sector com mais meios financeiros.
Bom sinal. E bom começo.

Deambulatório

Tirando a tirada idiota de um eurodeputado até há uns dias anónimo (e que nesse estado de graça deveria ter permanecido), tudo o que li e ouvi nas reacções às declarações de Saramago resumem-se ao simples exercício da liberdade de expressão. E começo a ficar um pouco cansado de ver gente a dar caneladas e depois a atirar-se para o chão num pranto. Quando alguém critica um jornal ou uma televisão, aqui D’el-rei que querem “matar o mensageiro” (como eu odeio esta expressão que transforma os jornalistas em meros veículos neutros e assépticos), como está a acontecer com a irritação da administração Obama com a Fox News. Quando alguém se indigna com uns cartoons, temos todos de defender o que não gostamos para não sermos vistos como censores. Quando alguém faz afirmações polémicas sobre a Bíblia qualquer reacção tem de ser vinte vezes mais cuidadosa do que a provocação inicial, não vá o provocado ser chamado de talibã. Continuar a ler
Daniel Oliveira Arrastão

Refeitório

Os tolerantes

Vasco Pulido Valente junta-se hoje ao coro que pretende expulsar quem não se inscreve nos desígnios herdados de Salazar: Não discutimos Deus. Não discutimos a Pátria. Mas Vasco é mesmo o representante intelectual do criador. No seu texto, no Público, passa o inevitável atestado de menoridade a José Saramago. Saramago pode ficar descansado. O homem já passou registos semelhantes a toda a gente. Somos todos analfabetos. Ele, o superior iluminado avalia e esmiuça todas as irregularidades que praticamos. O simples facto de emitirmos opinião, condição conferida apenas ao seu douto pensamento, é razão para tratamento abaixo de qualquer classificação. Tempos houve em que alardeou o seu manual de ódio numa estação de televisão, em prestação digna de humor de colectividade de bairro.
Estaríamos tramados com esta gente, se por descuido lhes déssemos importância.

Entretanto cheguei a este texto do Daniel Oliveira, no arrastão. Como ninguém gosta de estar sozinho, resolvi partilhá-lo. Aqui está.

Receituário


Clique na imagem para ampliar.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

David com prémio


David Mares, arquitecto português natural de Setúbal, vence importante prémio internacional.
Este arquitecto de 26 anos venceu o prémio do público do Concurso Internacional de Design do Museu Guggenheim, de Nova Iorque. Ficar à frente num concurso destes é qualquer coisa.
Parabéns ao David.

Olá


A marca de gelados Olá faz hoje 50 anos. Os meus preferidos são os Magnum: chocolate branco e amêndoa. Vou ali abaixo trincar um, para comemorar.
Parabéns à Olá.

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

David e Golias


Nunca tinha ouvido falar neste Mário David. Nome banal em figura sem relevo. Releva-se apenas o facto de ser membro do Parlamento Europeu e de fazer gala em ser seu vice-presidente. Um entre uma teca deles, mas enfim. O homem ficou famoso por querer expulsar Saramago da sua condição de cidadão português. A criaturinha não respeita quem não respeita o que ele próprio respeita e defende o exílio dos alegados prevaricadores. Esta grande figura do pensamento e dos valores cristãos tem poiso em lugar que dita regras. Uma figura triste que entristece quem pratica a tolerância. Estamos bem tramados, com estes medíocres engravatados.

Livrai-nos do mal


A gente pode gostar ou não dos livros de Saramago. Podemos apreciar ou não as "verdades" da Bíblia. Mas sugerir o que este deputado europeu sugere - retirar a cidadania portuguesa ao escritor -, não lembra ao diabo. Não é suposto cabermos cá todos? Saramago teceu uma engenhosa operação de promoção do seu livro. A história que conta, não fosse o alarido que a rodeia, seria uma divertida comédia baseada em episódios do Livro que esta gente nunca leu. Também ouvi um padreca qualquer, com honras de jornal televisivo, defender que a atitude de Saramago não é digna de um Nobel. Será que o senhor prior já passou as iluminadas órbitas por outras nobelizadas páginas? Saramago poderá ter sido excessivo, mas esta gente exagera ao tentar decretar sobre o que devemos pensar. E não podemos pensar de maneira diferente da deles, os arautos da fé.
A Bíblia fundou a nossa civilização. Somos todos católicos. Nem que seja à força. Livrai-nos deste mal, senhor.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Para cavaco não há Gato

Os Gato convidaram o Presidente Cavaco para ser esmiuçado no último programa da série. Cavaco recusou. Há quem não esteja de acordo com a decisão do Presidente. Eu estou. Cavaco não tem grande convivência com o humor. Aliás, são raros os políticos que recebem com simpatia uma piada certeira na sua direcção. Cavaco é o Presidente da República Portuguesa. Tem o direito de escolher as melhores maneiras de nos representar. E ir ao programa do Ricardo não é obrigatório, acho eu.
Já basta o que basta. Nem imagino o encavacanço que seria.

ERC em Conferência


A Conferência anual da ERC decorre na Fundação Calouste Gulbenkian hoje e amanhã. Para consultar o programa basta clicar na imagem.
A imagem gráfica foi desenvolvida por nós, na DDLX.

Receituário


Clique na imagem para ampliar.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Ajuda urgente


O que Maitê Proença pensa acerca dos portugueses, dos indianos ou dos espanhóis não me interessa para nada. Sobre o que a senhora faz e pensa não tenho nada a dizer. Confesso que me incomoda, isso sim, o incómodo com os disparates que a mulher, num momento de infelicidade, bolçou em vídeo de qualidade reduzida. Mas, ao vê-la desfeita em desculpas esfarrapadas, já com boa captação técnica e manhosa delicadeza, fico com vontade de me juntar ao coro recalcitrante.
A senhora diz que por lá tudo o que mexe dá para brincar. Como se a capacidade de brincarmos com os nossos defeitos e virtudes fosse aquela demonstração tosca e despropositada. Maitê afinal não sabe o que é humor. Pensou que era isso que estava a fazer quando cuspiu no monumento nacional. Inscrevo-me no coro de protestos não para a condenar, mas para a ajudar. Sugiro que se ajude esta gente sem humor e sem cultura. Que tal lerem uns livros? Ou verem uns filmes? Ou darem um salto a um teatro? Viverem com alguma exigência, portanto.
Temos que fazer qualquer coisa.

domingo, 18 de outubro de 2009

Os betinhos na política

José Pacheco Pereira queixa-se das condições de trabalho no edifício da Assembleia da República. Nada está a contento destes exigentes servidores do regime. Gastou e erário um balúrdio na renovação do edifício, para agora levar uma despromoção destas. Não sabia o que o esperava? Para que se meteu naquilo? Sempre pode seguir o exemplo do seu colega de bancada Deus Pinheiro e pôr-se ao fresco. A política de verdade precisa de absoluto conforto.

sábado, 17 de outubro de 2009

Prémio Saramago


João Tordo venceu o prémio Saramago.
Esta vitória é merecida. João Tordo recomenda-se.
Falarei de "As três vidas" um dia destes.
Parabéns, João.

Dia de erradicação da pobreza


Dezoito por cento dos portugueses são muito pobres. A situação tende a agravar-se. A indiferença é impossível. Estamos cada vez mais pobres. Todos.
Imagem Sebastião Salgado

Pedras no telhado


O José Simões, do Der terrorist, é um pimpão para descobrir e comentar estes casos. Concordo com ele. Usar a Bíblia para justificar uma condenação à morte, justifica o quê? E ainda falam dos fundamentalistas seguidores do Islamismo. Quem tem telhados de vidro...

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Enfermidade para lamentar


João de Deus Pinheiro fingiu ser candidato de verdade e concorreu. Foi eleito. Trinta minutos depois de tomar posse no Parlamento, ficou indisponível para continuar. Problemas de saúde, diz. As melhoras, digo eu. Mas será que não sabia da enfermidade antes das eleições? Fez uma campanha eleitoral pondo a saúde em risco?
Ai a política de verdade da doutora Manuela...

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

O Arquitecto em construção


A RTP2 vai transmitir um documentário sobre e com Nuno Teotónio Pereira. A vida deste homem extraordinário confunde-se com a sua vida profissional. O melhor da Arquitectura em Portugal passa pela vida deste arquitecto que nunca dissociou a profissão da cidadania.
Fez o que era preciso fazer para que a profissão que abraçou tivesse dignidade e utilidade para o Ser Humano. É este homem de excepção que vai dar testemunho do que andou a fazer ao longo de uma vida longa e cheia. Os nossos humildes aparelhos de televisão vão irradiar excelência.
O documentário passa sábado às 21 horas.
Se o perderem não sabem o que perdem.

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Receituário


A EXPERIMENTA continua.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Maiquê?

O rebuliço que anda por aí por causa das declarações de uma senhora que entra em telenovelas. Não percebo tanto incómodo. Quem é Maitê Proença? Faz telenovelas? E por mor disso não pode dizer disparates e cuspir nas nascentes? Não pode não gostar dos portugueses? Porquê? Os portugueses amavam a senhora? E porquê? Porque os portugueses amam telenovelas?
Ora, deixem-se disso.

Receituário


Clique na imagem para ampliar.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

E agora, António?


Agora é olhar com muita atenção para Lisboa. Há uma Lisboa que tem opinião, canta, dança, diverte-se. Está no mapa das grandes coisas. Mas também há uma Lisboa que está cansada, abandonada e triste. António Costa percebeu isto e começou e trabalhar na sua correcção. Costa e a sua equipa têm condições para corrigir os males e dar esperança a quem vive e trabalha na cidade de que todos gostamos tanto.
Parabéns por este ganho, António Costa.
E felicidades.

domingo, 11 de outubro de 2009

Nem tudo é mau

Afinal nem tudo é mau nas aprovações regionais. Felgueiras viu-se livre de Fátima. Marco de Canavezes mandou o Avelino às urtigas. Narciso de Matosinhos também recebeu uma lição. Nem todos os acusados e condenados pela Justiça são aplaudidos pelos eleitores. Nem todos esses foleiros são reconhecidos como salvadores. Já nos bastam os isaltinos e loureiros desta vida. Era bom que a Justiça não permitisse as candidaturas desta gente.

Ainda não acredita?

Santana Lopes não acredita no que lhe aconteceu. Continua a não reconhecer a derrota e não pára quieto. Anda de um lado para o outro. Parece doido. Já cansa. Será que não percebe que os lisboetas ficaram fartos da sua caminhada irresponsável e deram-lhe guia de marcha? Caminhe, homem. Ande por aí. Mas saia do nosso caminho.

Coelho em Sines


Para Manuel Coelho a política começou no PCP. Convivi com ele enquanto ambos habitámos em Setúbal. Depois foi para Sines, exercer a sua profissão de médico, e tornou-se presidente da Câmara eleito pelo seu partido. Mais tarde percebeu que não era aquele o caminho que queria seguir e criou o seu próprio trilho. Agora ganhou as eleições. Uma grande vitória pessoal que esperemos seja também dos habitantes de Sines.
Parabéns, Manel.

Perdeu a irresponsabilidade

Tudo indica que Santana Lopes vai ser varrido de Lisboa. Os seus seguidores insistem no fim da contagem: ainda pode acontecer que se invertam resultados, dizem. Outros distintos membros do PSD, como Pacheco Pereira e José Luís Arnaut, falam em grande vitória do seu partido, sem conseguirem exibir grande entusiasmo vencedor. Comparar eleições autárquicas com resultados nacionais é parvo. Eu quero lá saber quem ganhou numa Merdaleja qualquer? Importante foi não entregar a capital do país a um direitinha sem trambelho.

sábado, 10 de outubro de 2009

Refeitório

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Domingo é dia do António


A campanha eleitoral das regiões está a chegar ao fim. O que se passa nas regiões não me interessa para nada. Só mesmo as eleições em Lisboa me preocupam. António Costa é um político de respeito que eu respeito em qualquer dos cargos que ocupe. Ao propor-se para o cargo de presidente da Câmara de Lisboa assume ocupar um cargo que tem a importância que o lugar tem na hierarquia do País. Falamos da capital de um país europeu. Falamos da cidade que Enrique Vilas Matas, por exemplo, considera a mais bela do mundo. Eu também. E eu fiquei muito honrado por António Costa me ter convidado para a sua Comissão de Honra. Agora é votar contra a leviandade santanista.
Só António Costa o garante.
Vamos votar no António.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Indignação


Ando a ler o mais recente livro de Philip Roth - Indignação - publicado em Portugal. Não é o seu melhor, na minha opinião, mas confesso que me entusiasma na mesma. Roth é um caso semelhante ao de Borges: todos o apontam como vencedor mas ele nunca andará lá por perto para os peritos da academia sueca. Não conheço esta vencedora - Herta Müller - de lado nenhum. Alguém aí a conhece?
Pronto, não se indignem, perguntei por perguntar.

Picasso por Irving Penn


Irving Penn morreu. Picasso também. E eu, não desfazendo, não estou nada bem.

Irving Penn


Morreu o fotógrafo Irving Penn.
Considerado fotógrafo de Moda, fotografou tudo o que pousava à sua frente. E fartou-se de fotografar.
O mundo das imagens está hoje mais pobre. E triste.

Itália com sentido


O dono de Itália percebeu finalmente que mesmo os proprietários têm responsabilidades. Percebendo isto, desatou a disparar num sentido: a esquerda. E então tudo o que o afronta é de esquerda: juízes acusadores, presidente da República, imprensa que não é dominada por ele, e tudo o que não vai com o charme dos seus implantes capilares e orgias de sexo pago e bem pago.
O homem, na sua cegueira de imperador que tudo domina e controla, será que percebe que é a mais elementar decência que é reclamada quando se fala da sua indecorosa existência? Não a decência que altera obras de arte para exibição de um moralismo parolo (isso é mais ignorância), mas decência mesmo. Claro que percebe.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Encompassing the Globe


O encerramento foi adiado para o fim do mês. Oportunidade para não perder esta magnífica exposição. É no Museu Nacional de Arte Antiga.
A imagem foi desenvolvida por nós, na DDLX.
Até já.

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Estratégias


Ao invés dos desígnios futebolísticos, o professor Marcelo assegura que em equipa que perde não se mexe. A doutora Manuela está muito bem como líder do partido. Marcelo é como Cavaco: as agendas pessoais sobrepõem-se a tudo e todos. Mas é mais habilidoso do que o Presidente. Marcelo Rebelo de Sousa aguarda pacientemente pelo desgaste dos adversários internos. Saltará para a ribalta quando estiver tudo em desalinho nos bastidores.
Deixá-los, eles sabem o que fazem.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

5 de Outubro sempre


Não tenho muito a dizer sobre o que hoje se comemora. Nasci em República, aos 15 anos passei a viver em Democracia mesmo, e não me queixo das instituições. O que não gostaria mesmo nada era de voltar a ser corrigido e dominado por uma casta que diz ter sangue azul. Problema clínico que em princípio se resolve com um transfusão.

Concordo com o Eduardo Pitta, que comemora assim o acontecimento.

Vencedores


Afinal parece que foi mesmo a doutora Manuela que ganhou as legislativas. As exigências comprovam o conforto eleitoral.

domingo, 4 de outubro de 2009

Gracias, Mercedes Sosa


Mercedes Sosa morreu?
Gracias a la vida.

Santana nunca mais e em lado nenhum

sábado, 3 de outubro de 2009

O Rio de Janeiro continua lindo


Esta vitória do Brasil é qualquer coisa. Seja devido ao charme de Lula, à permanente alegria do povo, ou ao reconhecimento da evolução económica, o certo é que a organização de uns jogos olímpicos é feito de grande país.
É obra.

Manhosos vão a votos

Os incidentes entre os apoiantes de Isaltino e de Perestrello, em Oeiras, revelam uma preocupação: o caciquismo controla alguns recantos do País. É incrível alguém como Isaltino ganhar eleições onde quer que seja. Tal como é uma vergonha a candidatura do major de Gondomar. No entanto, já nada nos causa admiração: a baboseira populista invade as terras de Portugal. E o populismo é frequentado por muito candidato ganhador. Oxalá o voto não os recompense.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Refeitório

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Portas trancadas


Francisco Louçã diz algo de razoável: se desapareceu papelada importante, e se Portas era o ministro da trapalhada, e se Portas levou um carregamento de papéis para casa quando deixou de ser ministro, não terá por lá os documnetos que agora são procurados?
Paulo Portas, confrontado com as declarações de Louça, diz que é reacção de perdedor. O homem está orgulhoso com este honroso terceiro lugar. Sobre os submarinos disse que é estória mal contada. Lá isso é.
+